#DiariodeumaPaixao

Lembro que assisti este filme (Diário de uma Paixão) em casa, abraçadinha com meu marido, e foi lindo, ambos choramos muito!... Sim, claro que nos rendemos a emoção e esta fascinante história!
Abaixo um clipe com cenas do filme.


Mas vale a pena você assistir e/ou ler tal história de Amor!


Diário de uma Paixão
FILME

Livro (resenha): O casamento - Nicholas Sparks


Por Kássia Rocha
Será possível um homem mudar de verdade? Ou será que o temperamento e os hábitos constituem as fronteiras imutáveis de nossa vida?
Livro: O Casamento (The Wedding)
Autor: Nicholas Sparks
Páginas: 224
Editora: Arqueiro


Esta história é narrada por Wilson Lewis, um homem de 56 anos, casado com Jane, de 53 anos, no qual, possuem um casamento de quase três décadas. Em “O Casamento” Jane é filha de Noah, um personagem encantador, um sogro que está sempre presente, de alguma maneira, na vida de seus filhos e genros (e que podemos encontrar a história de Noah no livro “Diário de uma paixão” que, contava um romance pra lá de inspirador, de Noah e Allie). E Wilson é um nato advogado, que viveu pela carreira bem estruturada, e que começa a questionar sentimentos enterrados dentro de si e, de sua esposa.
Quando começamos a ler “O Casamento” nos deparamos com lemas e temas quanto à durabilidade de uma vida a dois, o desgaste, e a personalidade enfincada de cada personagem - de uma vida inteira, sem mudanças.  Logo de início Wilson declara-se um homem...

“Nunca me considerei um homem sensível e, se vocês perguntassem à minha mulher, tenho certeza de que ela iria concordar com isso. Não me emociono com filmes nem com peças de teatro, nunca fui sonhador e, se aspiro a algum tipo de domínio pleno, é àquele definido pelas regras do Imposto de Renda e codificado pela lei” Pg. 8.

A abordagem sobre casamento pode ser algo maçante e, por vezes, batido (mas não nas obras deste autor, que, vou me "surpreendendo" a cada livro que leio). As pessoas sempre contestam a vida conjunta, o amor e sua forma real, a busca por inovações diárias, ou a comodidade chega a destruir qualquer cotidiano, a conquista necessária e fundamentalmente habitual é questionada, nesta obra de Nicholas Sparks. O personagem narra suas reflexões e frustrações quanto às circunstâncias emergenciais em seu casamento, busca o crescimento e o desenvolvimento pessoal, só não sabe como fazer isso.

“É claro que todos os casamentos passam por altos e baixos: acho que isso é uma consequência natural para casais que decidem permanecer juntos por um bom tempo” Pg. 9.

"(...) Jane é o tipo de pessoa que eu sonhava ser. Enquanto eu sou sério e racional, ela é extrovertida e amável, dona de uma empatia natural que a torna encantadora. Minha mulher tem o riso fácil e um grande círculo de amizades." Pg. 14.

Eles tinham três filhos; Anna, Joseph e Leslie. Fala de suas personalidades distintas, de como os filhos são, em sua vida e conquistas pessoais, da proximidade que possuem com a mãe Jane. Enfim, da criação de seus filhos e das raízes familiares. É interessante como o autor constrói esta história, quando começamos a leitura, e imaginamos um caminho já traçado logicamente, pelas expressões do personagem... mas, conforme segue esta história, surgem surpresas agradáveis e muito bem trabalhadas - textualmente leve, e comovente.

Ao pensarmos, que muitos casos, atualmente, não há saída...

“Quantas pessoas têm essa personalidade? De que alguém que amam se apaixone por ela várias vezes?” Pg. 28.

... é aí que nos questionamos, e a resposta dependerá não somente de um, mas dos dois!

Em certos momentos no livro, Wilson vai narrando sua história com Jane, que, por sinal, é linda! E que engrandece a cada momento esta temática, tornando-a criativa e emocionante! Ele fala das fases de dificuldades e sentimentos controversos.

“Minha mulher, ao contrário, ainda se refere àquela época como “a era do ódio”. É claro que fala assim de brincadeira, mas duvido muito que ela queira reviver aqueles anos, como eu também não quero” Pg. 36.

O que encanta também, que vêm recheados de bons momentos, boas histórias e conselhos, é a relação de Wilson com seu sogro Noah (que, inclusive, para quem leu ou ‘viu’ a história de “Diário de uma paixão”, vai se apaixonar por essa continuidade, com Noah sempre presente nesta história, de sua filha Jane e sem genro Wilson), no qual, são amigos para todos os momentos, de como se entendem, e de quantas surpresas - e mistérios - vêm por aí nesta amizade verdadeira.
Ficamos sentados em silêncio até que Noah fez um gesto na direção da água.
- Sabia que os cisnes escolhem o mesmo parceiro para a vida toda? – indagou ele.
- Pensei que fosse um mito.
- Não, é verdade – insistiu ele. – Allie sempre dizia que essa era uma das coisas mais românticas que ela já tinha escutado. Para ela, demonstrava que o amor é a força mais poderosa do mundo. (...)” Pg. 52.

Esmiucei alguns detalhes desta narrativa romântica, não pense que isso é tudo o que há lá. Muito pelo contrário, muitas coisas acontecem, o final é primordial, pois mudará toda a visão da história!


Fico por aqui, super indico este livro, aos apaixonados como euzinha, o li em 2 tardinhas, e depois vocês me contam o que acharam!
Beijos.
Caká.

Titanium / Pavane (Piano/Cello Cover) - David Guetta / Faure - The Piano Guys

#PLANODEAULA

Qual dos heterônimos de Fernando Pessoa assina o poema Tabacaria?



"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."

( ) Álvaro de Campos ( ) Alberto Caeiro ( ) Ricardo Reis ( ) nda


Conte à turma sobre a biografia de Fernando Pessoa e explique a criação dos heterônimos em http://abr.io/IQze


Resposta: Álvaro de Campos

Você é minha religião (Maná, Jorge e Mateus)

Muito linda esta canção, um título metafórico de um apaixonado...
Elencando motivos de como o amor pode transformar - iluminando e aquecendo lugares frios -, fez com que este amor fosse seu porto seguro, uma brincadeira lúdica (através do jogo de palavras) com o sentimento que surge de forma inovadora, após tantas desilusões amorosas, ela (o ser amado) se tomava a luz de sua vida.

Livro (resenha): Um Porto Seguro - Nicholas Sparks


Por Kássia Rocha
A história do livro Um Porto Seguro, vêm a nos fascinar, na linguagem encantadora e, como sempre, o autor Nicholas Sparks nos remete ao lugar, ao personagem principal e as sensações. Mas este livro é peculiar, envolto de mistério, abordam temas reais - de nossa sociedade, uma mistura com o suspense, o terror (sim digo isso com firmeza, quando você ler este livro, será esta a sensação em devidos momentos de revelações e sofrimentos), e ao mesmo tempo, nos eleva a crença no amor, nos sentimentos reprimidos e que se afloram naturalmente e, que nos encantam para a construção dos relacionamentos, sejam eles: familiares, amorosos e de amizade.

Versão 1                         Versão 2
Editora: Novo Conceito

ISBN: 9788581630045

Ano: 2012
Páginas: 414
Tradutor: Ivar Panazzolo Júnior

Um Porto Seguro é narrado em terceira pessoa, intercala-se entre as histórias de Katie, Alex, Kevin e Jo. O que nos deixa surpreso é como as histórias vão se complementando, os segredos que são desvendados de cada personagem, a maneira como o autor detalha os sentimentos e pensamentos dos personagens, as fases cruciais para suas decisões e até mesmo as fases de suas aflições e angustias, mediante os fatos do passado e do presente.
“[...] o passado sempre estava à espreita e poderia retornar a qualquer momento. Um passado que cruzava o mundo procurando por ela, e ela sabia que sua fúria crescia a cada dia que passava.” Pg. 18.

A personagem central é uma mulher que se chama Katie, têm 27 anos, é misteriosa e retraída. Chegou à cidade de Southport, na Carolina do Norte, e procurava manter-se distante de todos, para que, as pessoas não questionasse sua vida... seu passado.
“[...] Já contava 27 anos, não tinha amigos e havia deixado de ser uma mulher loira de cabelos compridos há algum tempo. Ela tinha se mudado para aquele lugar sem praticamente nada e, alguns meses depois, ainda tinha pouco.” Pg. 18.

Katie começou a trabalhar de garçonete, em uma lanchonete, não queria muito da vida, somente um lugar seguro... mas, a cada instante isso poderia mudar. Southport era uma cidadezinha encantadora, ela começava a acreditar que ali poderia reconstruir sua vida.
“Katie trabalhava durante o horário do almoço e do jantar. Enquanto o dia se transformava em noite, ela gostava de observar o céu passar do azul para o cinza e depois para o laranja e o amarelo na borda ocidental do mundo. Ao pôr do sol, a água reluzia e os veleiros cruzavam as águas, empurrados pela brisa. As folhas finas nos ramos dos pinheiros pareciam brilhar.” Pg. 15.

Quando Katie se mudou para uma cabana - toda destruída por sinal, até que ela foi arrumando do seu jeitinho – viu que ali poderia viver em paz, distante de tudo e de todos, mas, certo dia, chegou uma mulher para morar ao lado, em outra cabana, daí entra a personagem Jo, com quem Katie terá muita afinidade. Jo é uma pessoa sensata e divertida, aos poucos vai conquistando a amizade de Katie, acaba sendo sua conselheira, nos momentos difíceis de decisão.
“[...] Jo – sua única amiga verdadeira, sua sábia conselheira, a pessoa que a apoiava e a quem confiava seus segredos.” Pg. 410.

Alex era um homem viúvo, com seus dois filhos: Kristen e Josh – essas crianças nos encantam a cada instante. Bom, ele é dono de uma loja de conveniências, e foi ali que conheceu Katie, e que lhe chamou a atenção por sua beleza e pelo mistério que a cercava, embora Alex fosse sensível quanto à percepção das coisas.
“Desde o início, Alex sentira que Katie tinha problemas, e sua resposta instintiva fora querer ajudar. E, é claro, ela era bonita, apesar do corte de cabelo que não combinava com seu rosto e das roupas que não valorizavam seu corpo. Mas fora a maneira como ela confortou Kristen no dia em que Josh caiu na água que tocou verdadeiramente seu coração. E mais do que isso, a reação de Kristen às atitudes de Katie. Ela buscou a proteção de Katie como uma criança busca o colo da mãe.” Pg. 67.

O livro nos deixa ativamente dentro da história, a cada página a linguagem nos fascina, a expressividade das palavras, a formação das frases e contextos, seja pela escrita gostosa de se ler, ou pelos detalhes desta incrível história!

Li algumas críticas sobre o livro, de que são muitas páginas, e que cansa um pouco no meio da história, mas não achei isso, o autor simplesmente enriqueceu as personalidades que são existentes em cada personagem, fora que do meio para o final ocorre muita ação, muitos segredos serão desvendados. É claro, que a certa altura você consegue identificar, com clareza, a história de Katie, mas os detalhes e os motivos são de arrepiar, de sentir-se enojada e revoltada, foi assim que me senti, chorei e sofri... Li o livro em 2 dias. O que suaviza é o romance e as esperanças que se afloram entre os personagens.

O que movimenta freneticamente  o livro - inclusive nas últimas 100 páginas -, é o surgimento do personagem Kevin, nossa ficamos em estado de repugnância por este "homem", e até mesmo de “compreendimento” pessoal, por ser um personagem, que em algum momento de nossas vidas nos deparamo-nos seja um caso familiar, ou de uma pessoa próxima a nós. O autor brilhantemente expõe este personagem de forma real e reflexiva. Vai nos fazer pensar e nos trazer certas convicções e certeza sociais.

Poderia falar muito deste livro, grifei muita coisa no livro, mas achei melhor deixar vocês se surpreenderem... o final - como sempre nos livros de Nicholas Sparks - é de nos elevar a outro nível...

Outros livros de Nicholas Sparks: